BNDES CONCURSO NACIONAL



RIO DE JANEIRO – 2015

Participação em Concurso Nacional de Projeto para o Anexo da Sede do BNDES.

Autores:  Günther Kaltmaier Jr. / Paulo Te Varwerk Duarte – BASE arquitetura e Urbanismo

Colaboradores:  Cristian Burg Leon, Carlos Fávaro, Mauricio Tassi Teixeira

MEMORIAL DESCRITIVO

O ANEXO, JARDINS E ESPAÇOS PÚBLICOS

A arquitetura do novo anexo do BNDES foi concebida para solucionar as principais diretrizes do edital:  Integrar-se com o tecido urbano e o EDSERJ, promover a ligação física entre eles e a AV. Paraguai com o Complexo do Morro de Santo Antônio, cedendo um espaço público ajardinado na cobertura de livre acesso ao público.

A proposta soluciona estas diretrizes interligando estas áreas com elementos de continuidade espacial. A conexão se inicia pela marquise proposta ao nível da calçada convidando o transeunte a circular próximo ao edifício. Esta marquise é coberta por um jardim em talude dando continuidade aos jardins do prédio existente estabelecendo uma conexão clara entre os dois, conferindo a nova edificação o caráter incontestável de anexo. Os muros de arrimos em concreto adentram a marquise do anexo e fortalecem esta relação.

Ao se aproximar do acesso principal será possível visualizar o acesso a escadaria proposta que contorna o edifício configurando o novo caminho do complexo do morro de Santo Antônio, conectando as cotas da rua e do nível de continuação existente. O percurso promoverá a visualização da paisagem carioca através da escada. Ao atingir o nível do Morro o pedestre poderá continuar o percurso chegando no nível do terraço jardim descortinando uma praça pública aberta com novas visuais do Rio de Janeiro. Novamente é possível visualizar o edifício sede e seus jardins, fortalecendo a relação espacial entre a Sede e o Anexo.

A continuidade entre os espaços e jardins públicos existentes e os do novo edifício acontece de forma fluída e clara, devolvendo à cidade o espaço verde que será perdido com a remoção do morro e permitindo o acesso, fortalecendo a relação do usuário com a paisagem urbana.

O volume resultante das áreas previstas no edital se apresenta na forma de um prisma encaixado no Morro existente repousando sobre jardins e ás áreas públicas.

No centro deste volume propõe-se que o interior do edifício abra-se para a cidade num átrio verde ajardinado separando a construção em duas alas conectadas pelas prumada de circulação vertical. A paisagem urbana novamente é disponibilizada através do átrio para o usuário funcionando também como plano de fundo para as atividades do conjunto.